literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Imaginação e fantasia
VOLTAR
RESENHA

Por Simoni Conceição Rodrigues Claudino
Mestre em Educação – PPGE/UFSC
Professora de Educação Infantil – PMF/ SC
2020

O livro Imaginação e fantasia é parte integrante de uma coletânea infantil intitulada Contos dourados. O livro é da editora AmoLer e vem assinado por uma organização denominada, Clip Mulher. Em seu interior há quatro histórias escritas por Andréa Gustmann, Neida Rocha, Alana Águida Berli e Ivo Hadlich. As ilustrações são de Ana Flávia Marques. As capas iniciais e finais são coloridas, sendo que na capa inicial há a ilustração de um livro aberto no chão tendo duas crianças a seu lado ajoelhadas: um menino e uma menina, do livro saem personagens do mundo do faz de contas: duende, sapo, fada, bruxa, dragão, entre outros seres feéricos. Na capa final vem destacada a foto de Ivo Hadlich, um dos autores do livro, no centro de uma de medalha, e com a palavra: homenageado, seguida de uma biografia. Em seu interior, o livro é em preto e branco, possui algumas atividades propostas de ser realizadas pelos leitores e pode ser considerado como um livro para colorir. A caixa bibliográfica do livro é apresentada ao leitor na última página, juntamente com o contato de duas das autoras: Andréa e Neida.

As histórias se iniciam na página 3, primeira página do livro. A primeira história é O ratinho fantasma, de Andréa Gustmann. O personagem principal deste enredo é Ratael, um ratinho que distraidamente cai numa lata de tinta branca e assusta outros ratos, e dois gatos que moravam na mesma casa que ele. A segunda história, que tem seu início na página 6, é O pijama da abelhinha, de Neida Rocha. Nesta trama, a personagem principal é Mel, uma abelhinha que se sentia muito sozinha, e que um dia, por influência de um zangão, resolveu fugir de casa, mas esperou para se despedir de seus pais. Na despedida, os pais a confortaram com tanto amor e carinho, que abelhinha, que levava na mochila apenas seu pijama e travesseiro, entendeu que era melhor ficar com a família. Na página 9 começa a história O livro que comia poeira, de Alana Águida Berti. Esta narrativa tem como objeto principal um livro esquecido, empoeirado, perdido em meio a tantos livros na biblioteca de uma casa grande e bonita; porém uma menina o encontra na estante, o limpa e começa a lê-lo, e a curiosidade da menina fez o livro ser lido por outros. Ao final da história, é apresentado ao leitor uma atividade de encontrar as diferenças em duas imagens, retirada da narrativa. A quarta história, intitulada O arco-íris, de Ivo Hadlich tem seu início na página 13. Uma história contada na primeira pessoa do singular, onde o narrador e seu amigo vão em busca do pote de ouro no final do arco-íris. Na página 16, há uma proposta de atividade, denominada labirinto, com o objetivo de encontrar o caminho dos sonhos dos meninos no final do arco-íris. Na página 17 estão as biografias de Alana, Andréa e Neida.

REFERÊNCIA

CLIP MULHER (Org.). Imaginação e fantasia. Il.: Ana Flávia Marques. Blumenau: AmoLer, 2019. 


AUTORES

Imagens