literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Mais Poesinhas
VOLTAR
RESENHA

Por Rosilene F. Koscianski da Silveira
Doutora em Educação – PPGE/UFSC
2020

Mais Poesinhas, livro de Maria Mogorim, foi publicado em edição do autor em 2016. A capa com fundo verde claro destaca a imagem de uma criança leitora de poemas. O sol a ilumina, ela é tocada por outra criança menor. As cores vivas e quentes irradiam a poesia dos contrastes das cores e dos tamanhos. Na contracapa, o sol aparece sorrindo novamente. Ali ele está acompanhado de uma dedicatória: “Dedico este livro a toda pessoa, adulto ou criança, que nunca se cansa de brincar e ter esperança! Que a poesia possa ser luz, ser alegria, em todo tempo, a qualquer hora, da noite ou do dia” (MOGORIM, 2016, sp). A ilustração de Mais poesinhas é do chileno Mauricio Sepúlveda Baeza (Maseba) e da brasileira Elizabeth Cestari Mattos, conhecida como Re...Elizabeth.  As biografias da autora e dos ilustradores estão nas últimas páginas do livro.

Como anuncia o título, Mais Poesinhas é um livro de pequenos poemas, ou melhor, outro livro de poemas para os pequenos. Em 2012, Mogorim publicou Minhas poesinhas e depois, intuindo que outros poemas queriam vir a público e encontrar-se com os leitores infantis, ela escreveu Mais poesinhas. O livro também tem quinze poemas com a temáticas da infância, os bichos são os motivos principais.

 O primeiro poema “A mosca” narra um acidente gravíssimo, quer do ponto de vista da mosca, quer do ponto de vista de quem pretendia tomar uma sopa. “A mosca caiu na sopa/ bem no prato da Janete!/ Afundou, quase afogou-se, depois subiu no espaguete...” (MOGORIM, 2016, p. 3). Outros poemas abrem as portas de um zoológico inteiro, entram na fila o “Meu cavalo”, depois um canguru que se chama “Bilu [e] vai à escola”, a “Lola” uma cachorrinha “que não tem nada de tola” (MOGORIM, 2016, p.6), “Tião, o dragão” e mais um montão de bichos com nomes como o rinoceronte que rimam com o “por do sol no horizonte” (MOGORIM, 2016, p. 9). Assim fica fácil brincar de poesia, mas nem só de bicho vive o livro Mais poesinhas  – o leitor vai descobrir. 

Mais Poesinhas  não resiste uma tentação, a de dar conselhos: “mamãe disse que na escola/ ele deve ficar sentado” (MOGORIM, 2016, p.5). Também resolve levantar uma discussão com a questão de gênero, no poema “Maria e João” – ali “empinar pipa/ não é brincadeira de menina”. O caso não fica assim, é no ato contestado com grande empolgação: “Na hora da brincadeira/ não pode ter disso não/ sou menina e jogo bola/ melhor que você, João” (MOGORIM, 2016, p. 16). Sem dúvida, esse é um livro para gente grande e pequena, encanta com suas rimas brincantes, com sua simplicidade e com seu ritmo provocante.

REFERÊNCIA

MOGORIM, Maria. Mais Poesinhas. Il.: Elizabeth Cestari Mattos, Maurício Sepúlveda. Içara: Ed. do autor, 2016.


AUTORES

Imagens