literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Nino o menino do morro
VOLTAR
RESENHA

Por Maria de Fátima Tonin Lunardi
Mestre em Educação/Pesquisadora/Colaboradora
2013

O livro Nino e o menino do morro, de Ricardo Brandes, aborda as dificuldades das pessoas que vivem nos morros de Blumenau e os sofrimentos por elas vividos durante as enchentes. Traz, em narrativa poética, a história do menino Nino, que, muito carente, não conhecia seu pai, que estava preso, pois havia roubado pão para a ceia e sua mãe virou artista e na cidade foi morar. Nino vivia brincando de esperar. Bem no alto do morro, tudo vinha trovejando, fazendo com que Nino ficasse com medo. Pensou numa solução e começou a cavar, para pegar barro do chão. Assim, bem na sua frente, viu um boneco de barro, que achou que era gente como ele, carente e também não tinha onde morar. Procurando soluções, o menino vai raspando o barro e surge a mulher de barro, com sentimento de gente, que também não tinha o que comer. A chuva forte, sempre aumentando. Surge uma rachadura, ninguém mais se segura, um bloco de barro desce do morro e... socorro! Nino vai parar no lixo, lá no centro da cidade. De um latão de lixo surge um fugitivo da prisão, que cavou um longo túnel e briga com uma mosca que tentava pousar em Nino e depois num pedaço de pão. 

Ao brigar com a mosca surge uma senhora de idade que pede o pedaço de pão. O senhor deu a ela o pão e os três, Nino, o fugitivo da prisão e a senhora deixaram a cidade e foram morar mais uma vez, no morro da Saudade, onde vivia Nino o menino de pouca idade.

Esta obra é bilíngue, versão português e espanhol, obra no formato de 20x10cm, ilustrada por Alex Guenther e traduzido por Nancy Fontana.

BRANDES, Ricardo. Nino o menino do morro. Il. Alex Guenther. Blumenau: Nova Letra, 2009.


AUTORES

Imagens