literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

O segredo da Feiticeira
VOLTAR
RESENHA

Por Eliane Debus
Professora MEN/CED UFSC
2020

Patricia Carpes, autora de ‘Naufragados’, publica pela chancela da editora Habitus o seu segundo livro para o público jovem: O segredo da Feiticeira. Escrita de forma célere, por certo, a narrativa arrebata o leitor já nas suas primeiras linhas; dispensando a descrição do narrador onisciente, a história é confeccionada de forma ágil pelos diálogos entre as personagens, em particular pelo grupo de adolescente composto por três meninas (Erica, Marina e Rafaela) e de dois meninos (Eduardo e Pedro) que se aventuram em uma expedição à Caverna da Feiticeira, localizada nos Ingleses (balneário de Florianópolis-SC).

  O enredo ficcional povoado de mistério, suspense e um toque detetivesco, comum a muitas narrativas juvenis, é entretecido por dados factuais; não tendo como o leitor catarina não reconhecer nas descrições dos dizeres e fazeres do ilhéu a sua gente, bem como a localização geográfica (Ilha do Arvoredo, Praia Brava, Ingleses) e o encantatório das lendas que povoam a Ilha da Magia (boitatá, sereia, feiticeiras e bruxas).

  Podemos dizer, sem sombra de dúvidas, que a preservação e o cuidado com a natureza e o homem são a temática pulsante deste livro que ao trazer para o cenário da ilha uma aldeia indígena desconhecida – seria esse o segredo da Caverna da Feiticeira? - expõe também uma das mazelas da humanidade: o não cuidado com o outro.

  Seguindo a perspectiva do crítico italiano Umberto Eco de que  o texto é uma máquina preguiçosa que aguarda o leitor para ativá-la, convidamos você para acionar o ‘dispositivo leitor’ e adentrar nesta aventura.

REFERÊNCIA

CARPES, Patricia. O segredo da feiticeira. Florianópolis: Habirus, 2019. 


AUTORES

Imagens