literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Um passeio pela história de Gaspar
VOLTAR
RESENHA

Por Daniela Martins
Acadêmica do Curso Pedagogia/UFSC
Bolsista PET – Pedagogia
2013

No livro Um passeio pela história de Gaspar, a autora Elane Bröring Fontes Schramm apresenta ao leitor uma narrativa da história da cidade de Gaspar, situada na Região do Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Uma história que se iniciou a mais ou menos 335 anos depois do descobrimento do Brasil.

  Conta a narrativa que, muito tempo atrás, viviam, nas terras que hoje correspondem à cidade de Gaspar, os índios, alguns chamados Xoklengs. Na época, a Espanha ameaçava invadir essas terras, então o governo português estimulou a vinda de estrangeiros para ocupar as terras do sul do Brasil. Sendo assim, com a promessa de encontrar aqui terra boa e riqueza, veio gente da Alemanha, da Itália e das Ilhas dos Açores de Portugal. Trouxeram com eles, muitos utensílios da época, e que são guardados até hoje na cidade. O “seu” Batista é um, que possui uma coleção de coisas antigas.

  Quando chegaram aqui, os imigrantes alemães, italianos e açorianos se depararam com os índios, e, na disputa por terras, iniciaram uma guerra contra eles, chegando ao ponto de contratar os chamados bugreiros para matar os índios. Mas foi, justamente, com índios que os imigrantes aprenderam a plantar em solo novo, epassaram a comer aipim, milho, pinhão, feijão, café, goiaba, traíra, pitanga, comidas que existem até hoje e cujas palavras são da língua indígena. Porém, apesar da abundância da natureza, precisavam de outras coisas, como: sal, açúcar, tecidos, remédios, calçados, que só tinham nas grandes cidades do Brasil, como no Rio de Janeiro. Como não havia estradas, essas mercadorias chegavam de bateiras em Gaspar, de tempos em tempos. No lugar perto de onde se vendiam essas mercadorias, surgiu a primeira “venda”, que era do comerciante Hoeschal e assim deu-se o início ao comércio em Gaspar. Em 1848, o alemão Herman Blumenau autorizado por D. Pedro II, fundou uma colônia alemã às margens do rio Itajaí-açu. Gaspar fazia parte dessa colônia. Com o passar do tempo, em 1914, Gaspar foi emancipado e tornou-se um município.

Para melhor compreender o texto, o livro traz, como ilustrações de Ricardo Alexandre Tomaselli, fotografias antigas e atuais da cidade, dos índios e de instrumentos colecionados até hoje. Traz, ainda, como ilustração em preto e branco, um personagem chamado João, que faz referência às fotografias, dá ideias e faz comentários acerca do texto.

SCHRAMM, Elane Bröring Fontes. Um passeio pela história de Gaspar. Il Ricardo Alexandre Tomaselli. Gaspar: Cromosul, 2007.


AUTORES

Imagens