literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Adão Antunes
VOLTAR

por Adriana Heredia dos Santos
Acadêmica de Pedagogia – PET Pedagogia- UFSC
2012

Adão Antunes nasceu em 1957, na aldeia de Barra Grande, no município de Colombo, Paraná. Seu nome indígena é Karai Tataendy e pertence à etnia Xiripá Guarani. Foi adotado pelos Mbyá-guarani e é filho de Estevão Antunes, mestiço de índio e não-índio, e de Maria Joana Martins, indígena da tribo Xiripá Guarani.

Em 1961, os Guaranis foram expulsos da aldeia pelos colonos e os avós de Adão, Paulino e Sabino Moreira, dispersaram-se. Seu pai ficou morando no mato com a família. Em 1969, seu pai faleceu e seu avô Paulino os levou para morar com ele na aldeia de Limeira, no município de Entre Rios, no oeste catarinense. Em 1973, casou-se com Ivete Jaxuka de Souza, da etnia Mbyá-Guarani.

Em 1997, a liderança da escola de Limeira o convidou para ser professor bilíngüe. A partir daí, começou a frequentar cursos de capacitação de professores indígenas para um currículo diferenciado para educação escolar indígena. Esta formação durou sete anos.

Em 2000, mudou-se para aldeia de Maciambu, Enseada de Brito, município de Palhoça, litoral de SC. Foi professor na escola Ka’ akupé,  da aldeia Maciambu, até 2005. Um ano mais tarde, passou a lecionar na Escola Indigena Itaty, cujo nome é o mesmo da aldeia Itaty (pedreira, em Guarani), no bairro Morro dos Cavalos, no mesmo município.

BIBLIOGRAFIA