literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Eglê Malheiros
VOLTAR

por Eliane Debus
Professora MEN/PPGE/CED - UFSC
2012

Nasceu em 1928, na cidade de Tubarão. Em Florianópolis morou grande parte de sua vida, com um hiato entre os anos de 1965 e 1979, quando residiu no Rio de Janeiro. Formada em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), exerceu o Magistério como professora de História, no Instituto Estadual de Educação; fez Mestrado em Comunicação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


Eglê Malheiros participou de momentos importantes da vida cultural de Florianópolis; em particular, destaca-se sua atuação no Grupo Sul, no período de 1948 a 1958. Tem seus poemas publicados no primeiro número da Revista SUL (1948), da qual também foi editora, e, em números seguintes. Esses poemas foram, depois, reunidos no livro Manhã, de 1952.

Atuou como atriz em vários espetáculos promovidos pelo Grupo Sul, bem como na montagem do primeiro longa-metragem de Santa Catarina O preço da Ilusão, com roteiro seu e do companheiro da vida Salim Miguel. Seu envolvimento com a arte dramática está registrado na escrita da peça teatral, em 1996, Vozes veladas que recebeu da União Brasileira de Escritores (UBE-Rio de Janeiro) o prêmio de melhor peça, a qual foi encenada pelo grupo Pesquisa Teatro Novo, sob direção de Carmem Fossari. Sobre Cruz e Souza, publicou diversos ensaios e críticas, sendo que, em 1998, foi organizadora e responsável pelas notas e seleção dos poemas do livro Cruz e Sousa – poemas.

No período que residiu no Rio de janeiro, atuou como diretora-secretária da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e foi editora da Revista Ficção (1976-1979) 

Para o público infantil, a escritora tem dois títulos: 

* Desça, menino! (1986), e 

* Meus Fantasmas (2002).


Referência

http://www.umdedodeprosa.cce.ufsc.br/arquivos/43/livreto.pdf

BIBLIOGRAFIA