literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Giovana (Terezinha da Silva) Rutkoski
VOLTAR

Por Maria Laura Pozzobon Spengler
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/UFSC
2013


Giovana Nasceu em Florianópolis, na maternidade Carmela Dutra, no dia 19 de março de 1980. Quando escreveu seu primeiro livro, tinha 10 anos e estudava na quarta série do Colégio Barddal. A vontade de escrever o livro surgiu após assistir a uma palestra da escritora catarinense Maria de Lourdes Krieger. Giovana e mais três amigas ficaram tão empolgadas com a palestra que combinaram de cada uma escrever uma história e lançar um livro. As amigas da pequena escritora acabaram não escrevendo, e ela ficou com a história guardada na gaveta. No ano seguinte, a professora de Português começou a incentivar os alunos a escreverem, mesmo sem o compromisso de dever de casa. Então, Giovana levou sua história, que se chamava O Sonho de Juvenal para que a professora lesse. Dias depois, a professora procurou a menina, dizendo que havia mostrado a história ao dono da editora Papa-livro e que ele queria publicar o material.

Assim que o Sonho de Juvenal foi lançado, escreveu outra história, "A Revolta da Natureza", falando sobre as ações de cuidado com a natureza. A escritora conta que o livro antecipava as ações determinadas pela Eco 92, antes mesmo de ela acontecer. As ilustrações chegaram a ser feitas, o editor da Papa-livro queria que o livro tivesse um acabamento em capa dura, o que exigiria um investimento maior, porém ele não conseguiu os recursos necessários para a impressão e o projeto acabou ficando guardado.

A escritora, então, passou a se dedicar mais à arte de outras formas, especialmente cantando no coral e atuando no teatro, que é uma grande paixão. O gosto pela escrita, no entanto, se manteve, tanto que, em 1994, passou a escreveu encenações baseadas nos textos bíblicos, pequenas peças infantis para serem apresentadas na Igreja, e, em 1998, prestou vestibular para a faculdade de jornalismo.

Desde então, dedica-se ao texto jornalístico, mais precisamente ao telejornalismo. Continua com projetos de livros (a concluir, dois projetos infantis e um adulto/juvenil), mas nenhum foi encaminhado para publicação (ainda).

Paralelamente ao trabalho como jornalista, a escritora dedica-se ao teatro. Faz parte do grupo O Dromedário Loquaz, uma das companhias mais antigas em atividade em Florianópolis. Em 2011, teve sua primeira filha e, no ano seguinte, criou o blog Palpites de Mãe, onde escreve, semanalmente, suas aventuras e desventuras ligadas à maternidade. Recentemente, começou a escrever dois roteiros de séries para televisão, projetos encaminhados para o concurso Netlabtv


BIBLIOGRAFIA