literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

A Chave que o Vaga-lume alumiou
VOLTAR
RESENHA

por Thamirys Frigo Furtado
Bolsista Pró-Extensão – UFSC
Acadêmica do curso de Pedagogia UFSC
Formanda 2012.1
2012

O livro A chave que o vaga-lume alumiou (2006), de Eloí Elisabet Bocheco, é o terceiro livro da série das aventuras da bruxinha Elisa. A simplicidade dessa história, assim como dos outros títulos da série, contagia crianças e adultos pela sonoridade, pelo jogo de palavras e pelas brincadeiras com as figuras de linguagem.

Durante uma brincadeira com os vaga-lumes, no Ribeirão do Araçá, a bruxinha Elisa encontra uma chave que abre três portas mágicas no vale dos Jacarandás. Para chegar até elas, Elisa supera desafios e acaba vivendo muito mais do que uma simples aventura. A autora brinca com rimas e charadinhas que Elisa deve desvendar para seguir seu caminho e descobrir o que se esconde atrás dessas três portas.

Por fim, Elisa desvenda o mistério que se encontra na casa em cima do morro, com a ajuda dos vaga-lumes que alumiaram as folhas secas e fizeram com que a bruxinha encontrasse a chave que abria as portas. Que mistério será esse? A curiosidade aumenta conforme a história vai sendo contada.


BOCHECO, Eloí Elisabet. A chave que o vaga-lume alumiou. Il. Mari Ines Piekas. São Paulo: Paulinas, 2006.


AUTORES

Imagens