literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Cada coisa que parece
VOLTAR
RESENHA

Por Eliane Debus
Professora MEN/PPGE/CED/UFSC
2013

Em Cada coisa que parece, Sérgio Meurer apresenta 28 poemas que tematizam coisas que aparecem e (desa)parecem com coisas que estão no nosso cotidiano e não nos damos conta. A lua, Meurer traveste de jangada, chapéu de coro, pedaço de melancia: a lua brinca de curvas. As sombras guardam segredos e com elas podemos fazer e desaparecer animais: brincadeira de sombras; no espelho, o reflexo se reveste e podemos nos transformar. As histórias e as cantigas podem promover encontros e fazer aparecer e desaparecer seres encantados.

Por meio de jogo de palavras, metáforas, cada poema cria uma coisa que se transforma numa brincadeira e o leitor vai descobrindo “Cada coisa que parece”.

MEURER, Sérgio. Cada coisa que parece. São Paulo: Cortez, 2008.


AUTORES

Imagens