literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Mamãe é mulher do pai
VOLTAR
RESENHA

por Sibele M. Carvalho Pereira
Pedagoga formada pela UFSC (2012)
2012

Como explicar às crianças a importância de se comportarem como adultos? A terem boas maneiras? Não fazerem perguntas inapropriadas em frente a visitas? E, o mais importante, a entenderem o relacionamento afetivo entre o pai e a mãe?

No livro Mamãe é Mulher do Pai, de Werner Zotz, o leitor é apresentado à realidade dessa preocupação do dia a dia. O menino Guto vive três histórias, cada qual com um pouquinho de brincadeira, mostrando como é a comunicação entre pais e filhos. Ao mesmo tempo, o desenrolar do livro mostra como se dá esse laço afetivo entre pai e filho, e o calor da emoção e carinho familiar. É um livro para o leitor dar boas risadas, trazendo à tona algo do nosso passado, da nossa infância, ou de alguma criança que temos por perto nestes dias: ...O pai me trouxe pra escola, como faz todo dia. Quando estava saindo do carro, ele me segurou e quis beijar. Falei pra ele, com cara de durão... - Me larga! – Ele me olhou assustado e daí continuei: - Não quero beijo, o senhor judiou da mãe!... 

Seguindo as três histórias narradas no livro, o menino Guto mostra sua insegurança diante dos pais quanto ao seu comportamento.  Os pais tentam explicar-lhe que são casados e por isso têm seus momentos de carinho e intimidade; o velho vizinho tenta mostrar à mãe de Guto que seu dedo fura-bolo, na verdade, pode ser um dom artístico. Um livro interessante, convidativo, realista e cômico que, com certeza, despertará muitas imaginações. Com uma linguagem de fácil entendimento e palavras comuns do dialeto catarinense, Werner Zotz conquista o leitor.

ZOTZ, Werner. Mamãe é mulher do pai. Il. Jean-Claude. Florianópolis: Letras brasileiras, 2005.


AUTORES

Imagens