literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Mino, o passarinho do sino
VOLTAR
RESENHA

Por Eliane Debus
Professora MEN/PPGE/CED/UFSC
2013

O livro Mino, o passarinho do sino,de Sérgio José Meurer foi um dos classificados no “Concurso de histórias para a infância catarinense”, coordenado pela Fundação Catarinense de Cultura da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo e promovido pela Liga de Apoio ao Desenvolvimento Social Catarinense (LADESC), no ano de 1984, e publicado em 1985, na Coleção Pró-criança, Ano 1, exemplar 13.

Sérgio José Meurer, em Mino, o passarinho do sino, constrói uma narrativa sensível sobre as dificuldades de relação quando não compreendemos, ou não tentamos compreender, os outros e suas diferenças.

O personagem da narrativa, Mino, um pequeno pardal que, por viver na catedral embaixo de um sino, aprendeu a falar a língua do sino “Blom!Blom! Blom!”, no entanto desaprendeu a falar a língua dos pássaros. E esse vai ser o motivo do desequilíbrio entre seus pares, pois, não entendendo o que Mino dizia e não podendo se comunicar com eles, o passaredo o afastou do seu convívio, menos a pardoca Lili.

Lili gostava tanto de Mino que aprendeu a falar a língua dele. E foi essa sabedoria que fez com que a vida de Tico fosse salva. Isto é, Tico, um pardalzinho, caiu em uma arapuca e Mino viu, contou a Lili que serviu de intérprete aos outros pássaros e todos juntos salvaram Tico.

MEURER, Sérgio José. Mino, o passarinho do sino. Il. Astrid Münch. Florianópolis: LADESC, 1985.


AUTORES

Imagens