literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Ô de Casa
VOLTAR
RESENHA

por Rafaella Machado
Mestranda do PPGE/UFSC
Bolsista CAPES
2012

"Ô de casa!" inicia o leitor, convidando-se a entrar e brincar com as palavras ao longo das páginas do terceiro livro infantil de Eloí Bocheco, publicado em Chapecó, pela editora Grifos, em 2000. A palavra Honga Bonga Longa retorna do reino de Uni... Duni... Téia... e é a anfitriã da visita. Depois de entrar, o leitor não fica sozinho: são 21 poemas para serem acompanhados. Nessa casa, as palavras são cômodos que não se acomodam, são cordiais, alegres e surpreendentes. Logo nas primeiras páginas, começamos o Passa anel e percebemos que é uma (re)visita às brincadeiras e aos Costumes da oralidade. Fácil, fácil passeamos pelas letras, e os passarinhos que as carregam nos convidam para brincar De outra coisa, então, resolvemos conhecer os Tantos jeitos do "a". 

No meio do caminho, somos surpreendidos pela Escolha de cores para nos acompanhar, mas as Dúvidas nos levam a Retratos com novos personagens, que nos recepcionam com Palmas e nos mantém Na Roda. Eis que, na brincadeira, Veio de cima um Camaleão Rosado, e, logo em seguida, a ovelha Lara e o Cavalinho branco também se juntam para encontrar a menina Martina, para então convidarem outro personagem conhecido dos livros infantis, chamando em coro: Tá pronto seu Lobo? 

Depois disso, é de Bota mágica que damos mais um passo nesse percurso pela poesia. Contamos o tempo com Conta-gotas porque não queremos ficar no Prejuízo, mas, infelizmente, a visita vai chegando ao fim. Depois de um passeio pela casa de brincadeiras de palavras, na última página, fica o convite para que os leitores visitantes se multipliquem pelo menos De Três em Três.


BOCHECO, Eloí Elisabet. Ô de casa. Il. Gisele dos Santos. Chapecó: Grifos, 2000.


AUTORES

Imagens