literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Terezinha Manczack
VOLTAR


Por Rosilene F. Koscianski da Silveira
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação – UFSC
2015

A escritora Terezinha Manczak nasceu em Santa Catarina e reside em Blumenau desde 1980, cidade em que atua como Conselheira Municipal de Políticas Culturais. É Membro da Sociedade Escritores de Blumenau e Governadora da Associação Internacional de Poetas para Santa Catarina. É detentora do título de Embaixadora Universal da Paz, conferido por Cercle Universel dês Ambassadeurs de La Paix. No I Encontro de escritores do CEN, realizado em maio de 2004, em Fortaleza, recebeu a Comenda do Mérito Cultural; em dezembro de 2006, a Comenda Letras Catarinenses, literatura com raízes em Santa Catarina; e em julho de 2009, em Minas Gerais, a Comenda Poeta Honoris Causa, em Língua Portuguesa – Liberdade. Publicou dois livros de poemas: Resgate da Emoção e Céu de Sagitário/Antes e Depois da Paixão. Organizou treze coletâneas de contos, crônicas e poemas, dentre as quais estão a Coleção Palavras Azuis, em cinco volumes, Percursos, Um Rio de Letras II e IV, Haicais em Setembro e À Paz! Participa de 26 coletâneas e antologias em prosa e verso.

Formada em Decoração de Interiores, Terezinha Manczakse apresenta como mãe, avó, poeta e tecelã. Confidencia a satisfação pelas experiências cotidianas, diz ela: “plantei árvores, pintei telas, ensinei centenas de pessoas a tecer, inclusive às pessoas cegas. Teço meus panos, escrevo meus versos, cuido da minha casa. Rezo e agradeço a Deus. Amo minha família, cuido dos meus amigos” [1]. Assim ela conduz sua trajetória. Continua participando de grupos de estudos literários e tem se apresentado em recitais, dentro e fora do estado. Dentre as formas poéticas tem preferência pessoal e uma grande paixão pelo haicai. Realiza oficinas de produção de haicais para crianças e interessados em geral. A escritora tem pressa, ela quer ajudar a “realizar sonhos coletivos e o [seu] único medo é do tempo que não espera ninguém”[2].



[1] Disponível em: <http://sociedadedospoetasamigos.blogspot.com.br/2010/05/terezinha-manczak-poeta-brasileira.html>. Acesso em: 6 de nov. 2014.

[2] Idem.


BIBLIOGRAFIA