literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

O Destino de Redondinho
VOLTAR
RESENHA

por Sabrina Francisco
Pesquisadora colaboradora – Acadêmica do Curso de Pedagogia (UFSC)
2012

A narrativa O destino de Redondinho, de Maria de Lourdes Krieger, conta a vida de um pequeno grão de areia e as sua peripécias em busca de seu real destino. Inicialmente, a narrativa o apresenta em plena felicidade: fazia cócegas nas estrelas-do-mar, dançava com os peixes. Lá não havia tristeza.

Até que um dia, o povo do fundo do mar percebeu que Redondinho estava triste, diferente. Os dias foram passando e o pessoal não estava conseguindo animá-lo. Redondinho não se achava importante. 

Preocupados, seus amigos, reuniram-se em conselho com os pais dele. Acharam que seria bom ele conhecer e descobrir o mar lá fora. Pensaram que assim, Redondinho, poderia encontrar um jeito de se achar importante. Em consenso, consideraram melhor ele partir. Redondinho aproveitou a carona do peixe colorido e saiu à procura da sua felicidade. Ele viajou pelo oceano até cair prisioneiro numa imensa concha, para se transformar, mais tarde, numa pérola, descobrindo assim o seu brilho.


KRIEGER, Maria de Lourdes Ramos. O destino de Redondinho. Il. Ernesto Meyer Filho. Florianópolis: Lunardelli, s/d.


AUTORES

Imagens