literatura infatil e juvenil de santa catarina

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
magna.art.br

Miriam Portela
VOLTAR

Por Terezinha Fernandes Martins de Souza
Professora Titular - UFMT/DEOE/NEAD
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/UFSC
2013

A escritora Miriam Leite da Costa Portela nasceu em Florianópolis, Santa Catarina. Em 1973 mudou-se para São Paulo, onde vive atualmente.


Formou-se em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes, da Universidade de São Paulo, em 1976. Trabalhou em televisão e colaborou com jornais e revistas, foi repórter, pauteira, chefe de reportagem, editora e apresentadora, atualmente produz vídeos institucionais e documentários.

Começou a escrever aos nove anos de idade e, a partir de então, as palavras viraram obra prima para a sua arte de expressar a vida por meio de narrativas e poesias. Segundo a escritora: “já tenho mais de vinte livros publicados e não quero parar. Tem um monte de histórias na fila querendo nascer” (Miriam Portela, mensagem eletrônica, 07/11/2013).

A obra Alguém muito especial foi seu primeiro livro infantil, publicado em sua primeira edição em 1998 e que já tem mais de vinte e cinco edições, dentre outros livros de poesia e de literatura infantil e juvenil de que é autora:

Poesia

Continente Possuído (1986);

Doces Rios do Medo (1989);

No Fundo dos Olhos (1991);

Nos mares de Vênus (2002). 

Infantojuvenil

Histórias do encantado (2007);

Infantis

Onde andará Alegria (2001);

Alice passou por aqui (2007);

Minha família não para de crescer (2009);

Louca por Bichos (2009);

Autobiografia de um bichorro (2010);

Galinha Inês, com ela ninguém tem vez (2010);

Lucrecia (2010);

A bruxinha que queria ser sereia (2010);

Bullying, vamos sair dessa (2010);

Vira-Lata com muito orgulho (2011);

Só se você prometer (2011);

A rainha da Cocada Preta (2011);

Quem disse que eu não existo (2011);

Sem cabeça, nem pé, você sabe o que é? (2011);

Onde bate o coração do Mundo? (2011);

Que Bagunça é essa? (2011);

Quem quer matar o tempo (2011);

O Pintor da Lua (2011).


BIBLIOGRAFIA